domingo, 1 de janeiro de 2012

Também bate um coração.

E deixem que eu diga, caros senhores, porque tenho muito a dizer.
Pois tenho um coração que bate. E sangue nas veias.
Deixem-me falar,então.
Eu sinto tanto por não poder dizer de outra forma. Sinto ter esse jeito azedo de me mostrar. Essa voz meio áspera e essas mãos, ah essas mãos, que mal sabem tocar.
Eu sinto não poder dizer, mas eu sinto.Porque se dissesse não seria diferente.
O mundo acostuma fácil, eu também. Eu já desaprendi a ser do outro jeito por conta do fracasso que é quando tento ser diferente.
Eu também já acreditei muito nas pessoas. E já fui boba, meus senhores.
Eu já quis gostar e mostrar  a cara, livre de qualquer maquiagem. Já o fiz.
Mas a água que me jogaram era fria demais.
E então eu fiz de propósito. Deixei que me molhassem. Deixei a vida ser.
Porque a vida também é. E é cruamente.
Dancei aquela música de novo e senti o perfume novamente.
Tentei abraçar, mas com esses braços?
Tentei beijar, mas com essa boca?

E corri de novo.
Eu dei uma volta inteira e caí em cima de mim. Me vi obrigada a me aceitar, a me ouvir, me entender, me aconselhar.
E, por Deus, eu fiz.
Com a cara mais lavada do mundo, senhores, eu fiz.
Mostrei-me a tal ponto que quase voltei a acreditar em tudo de novo e admirar, boba, as cores do mundo.
Mentira! Eu ainda admiro. Mas calada, porque ainda dói.
Porque ainda estou machucada.
Ainda sinto tanto ou mais que antes, ainda tenho um coração e sangue nas veias.
Mas ainda não sei como fazer.
Não sei voltar atrás.
E não sei como não me arrepender de ter deixado que me magoassem tanto, senhores.



4 comentários:

Inês Filipa disse...

gostei muito fofinha.

IsaBele disse...

Ei, minha linda! Que neste ano você consiga continuar sentindo, caindo sobre si; mas que nunca lhe falte força para se levantar e dançar!

Bjs e feliz ano novo!

Juliana Moraes Lacerda disse...

Me emocionou.

alfacinha disse...

O coração bate , então seja feliz esta ano